Portal do Governo Brasileiro

Do Jari para um universo de possibilidades humanísticas e integradoras.


O determinismo impõe a tese de que o homem é produto do meio.
A margem esquerda da história de nossa cidade, deste lado do rio, nos colocou à exposição de situações de riscos de toda sorte, álcool, drogas ilícitas, prostituição, violência (centenas de jovens tiveram sua linha do tempo apagada precocemente), e a banalização de fatos cotidianos não saudáveis para mentes e personalidades em formação.
No Jari, muitas gerações de jovens reproduziram sua realidade, a exclusão, a vulnerabilidade, fizeram escolhas erradas pela necessidade de adaptação e sobrevivência em um meio hostil.


Quem nasceu aqui nas décadas de 1970, 1980 e 1990, lembra-se, quando criança ou adolescente, do cotidiano no Jari: catar garrafa debaixo da ponte, vender pão, vender chopp e coxinha, ajudar o pai e a mãe a bater açaí, vender peixe, encher água, engraxar sapato, gapuiá, tarrafear, mariscar, tirar “canapú”, fazer “calvão”, todas estas entre outras atividades ajudavam a conseguir alimento para casa, deixando a escola em segundo plano.
Para que haja desenvolvimento, a educação deve ser priorizada como o mais estratégico setor social, pois impacta em todos os outros, saúde, segurança pública, atividades econômicas e uma infinidade de fatores ligados à vida do cidadão.
A educação contemporânea, o conhecimento, nos leva por novos caminhos, por novos lugares, reconstruir os rumos de Laranjal do Jari e garantir um município melhor para as futuras gerações, requer trabalho e participação de todos.
Nossos jovens já estão fazendo sua parte, alunos das redes municipal, estadual e federal de Laranjal do Jari, participam de feiras científicas levando ideias práticas para debater e encontrar soluções dos problemas cotidianos, afinal esse é um dos papéis da ciência.
Além da experiência estudantil, um universo de possibilidades se abre quando o jovem protagoniza e demonstra seu potencial aos outros, inclusive já amadurecendo suas escolhas profissionais, motivo de orgulho para pais, professores e recentemente, o prefeito de nossa cidade, que tem apoiado os projetos dos alunos do município.
Entre 20 e 22 de Setembro ocorreu em Macapá a Feira de Ciências e Engenharia do Amapá, Laranjal do Jari, foi representado pelos seguintes alunos e projetos:


Projeto: O uso do creme de babosa para o tratamento da queda de cabelo.
Alunos: Gabriel Lima (5º ano, escola Tereza Teles) e Maria Luiza Nogueira (8º ano, escola Raimunda Capiberibe), sob orientação da professora Maria Luiza Lima.
Projeto: Mente Saudável, defendido pela aluna Jaqueline Rodrigues da escola Mineko Hayashida, orientada pela professora, Maria Luiza Lima.
Popular em nosso município, o professor e sociólogo Eronilson Mendes, orientou os seguintes projetos e alunos:
Globalização e fluxos migratórios: um estudo bibliográfico sobre os refugiados contemporâneos (8º ano escola Ana Nery, Vitória Fernandes e Mateus Vinicius, escola Raimunda Capiberibe)
Aceitação ou rejeição dos alunos declaradamente religiosos para os conhecimentos científicos. (Ítalo Acauã Tunari, Wesley Erlean, Ramon Melo, todos da 8ª série, escola Raimunda Capiberibe).
Um estudo de caso sobre a violência homofóbica entre os alunos de uma escola pública, Sônia Henriques Barreto, aluno Felipe Caldeira, 1º ano do ensino médio.
Relações raciais no cotidiano escolar: preconceito e discriminação racial entre os alunos da escola Sônia Henriques Barreto, aluna Dária Janaina, 2º ano do ensino médio.
Suporte tecnológico para facilitar o aprendizado em língua portuguesa: defendido pelo aluno Bryan Christyan, 3º ano, IFAP, campus Laranjal do Jari.


O prazer de ler na escola Sônia Henriques Barreto: o resgate da leitura do livro no mundo tecnológico, como atividade prazerosa e enriquecedora do conhecimento. Defendido pelo aluno Claubson Carvalho, já participou da FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), projeto premiado pelo museu nacional da USP (Universidade de São Paulo), premiado com bolsa de trabalho de iniciação científica pelo CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), já credenciado para representar ainda neste segundo semestre, o município em Santa Catarina, na feira científica do sul.
Nove projetos científicos dos alunos de Laranjal do Jari foram credenciados a participar no México de exposição, evento que ocorrerá em Novembro do ano em curso.
Prefeitura Municipal de Laranjal do Jari “Tempo de Reconstruir, com um sistema de ensino humanizado”.